Industria 4.0: como o Brasil reagirá?

Posted on Postado em Acontece na Alcer, Artigos e Entrevistas, Sem categoria

Primeiramente, a Indústria 4.0 veio para trazer ainda mais eficiência, planejamento e segurança às empresas. Foi proposto recentemente e engloba as principais inovações tecnológicas dos campos de automação, controle e tecnologia da informação, aplicadas aos processos de manufatura. Mas, para entendermos melhor, vamos ao seu contexto histórico.

Contexto Histórico

Ela é fruto das três revoluções industriais que existiram e que moldaram nossa sociedade moderna. Com cada uma destas três inovações — a máquina a vapor, a era do pensamento científico e da produção em massa, e o surgimento de tecnologias digitais — o mundo mudou profundamente. E essa mudança esta acontecendo novamente e produzirá efeitos ainda maiores.

Na prática, além de realizar investimentos em produtos e serviços modernos, capazes de atender à demanda que seu negócio precisa, é necessário ter profissionais cada vez mais qualificados, aptos a entender o processo produtivo de maneira mais ampla, pensando em logística, clientes e fornecedores de maneira conjunta.

O Brasil está preparado?

 

No Brasil, essa é uma realidade ainda distante, mas há setores que têm empreendido esforços para trabalhar nessa expansão, em especial os de autopeças, agronegócio e alimentos e bebidas. Há ainda um movimento positivo da indústria e de instituições de ensino superior e técnico no sentido de entender e implantar iniciativas voltadas para a Indústria 4.0.

Um dos maiores impactos que a indústria 4.0 poderá causar, será uma mudança que afetará o mercado como um todo. Sendo necessário a criação de novo

s modelos de negócio. Independente do segmento de atuação de uma empresa, ou da área que uma pessoa trabalhe, ela será impactada pelo desenvolvimento das tecnologias exponenciais, ou seja, pelo processo de revolução. Consequentemente todo o macro ambiente será impactado também. Não há rota de fuga, esse processo está instaurado e será contínuo até que uma nova era inicie outro processo de revolução.

Ao adotar esse conceito na prática, as consequências positivas poderão ser percebidas de maneira rápida e eficaz. No setor de autopeças especificamente, a minimização de erros ao substituir processos humanos por dados integrados do chão de fábrica à esfera corporativa traz mais transparência, além de aumentar a qualidade e produtividade ao permitir rastrear toda a operação –  reduzindo a níveis extremamente baixos o envio de peças incorretas para os clientes, por exemplo. Isso é possível ao integrar o uso de Tecnologia da Informação com a Tecnologia da Operação, ou seja, deixando de usar planilhas para execução de ordens de produção para automatizar esse processo com softwares.

Para alcançar com sucesso o caminho para a Indústria 4.0, sua implantação deve ser feita passo a passo, de maneira modular e escalável, oferecendo retorno de investimento atrativo, servindo assim como incentivo para futuras instalações.

Diante de tantas vantagens a serem conquistadas, a realidade da base industrial no Brasil mostra que há um longo caminho a ser trilhado para atingirmos um nível de maturidade expressivo. Além do treinamento de profissionais, é necessário que as lideranças da indústria sejam capazes de visualizar a importância desse tipo de investimento, passando a mensurar retornos financeiros tangíveis no curto prazo. Com esse tipo de estratégia, será possível vencer e acelerar o desenvolvimento desse canal no País, ampliando a atuação das empresas e garantindo ainda mais oportunidade de competição no ambiente atual.

 

 

 

Monica Barros, Inteligência de Mercado

Fonte: Site CitiSystems

Site BitMag

Site Jornal Floresta